segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Fotos do lançamento - a última


O Vitor Alexandre, muito empenhado, na sessão de autógrafos que se seguiu.

Fotos Lançamento - 3


Para além dos já citados, eu e a Camila da 'Chiado'.

As fotos do lançamento - 2


Lígia e
Vitor Alexandre

As fotos do lançamento - 1


Prof. Linhares Furtado
Dra Isabel Gonçalves
Dr. Emanuel Furtado

domingo, 29 de novembro de 2009

Alguns amigos não puderam estar connosco...

Vitor

Acabo de saber que vou estar for a do país entre os dias 27 de Nov e 10 de Dezembro. Ontem soube que ia para a (...) e não pude deixar de ficar radiante com a surpresa.

Por esta razão não vou estar cá dia 28, dia do lançamento do seu livro, que pena(...)

Desejo-lhe as maiores felicidades deste dia 28 mas, acima de tudo, em todos os dias da vossa vida e, em especial aos vossos filhos. A luta que travam é uma grande luta, seja nas questões estritamente ligadas à doença ou insuficiência hepática, seja na divulgação da causa, seja no dia a dia, seja na integração de tantos e tantos tropeços que a vida traz… e é por tudo isto que desejo o melhor e que continue a ter essa força colossal que nos enche a nós de forças. Obrigada pelos coments no blog e pela sua/vossa persistência.

Laurinda Alves

(Nota: A Laurinda fará a apresentação do dia 15 na FNAC Almada)

Como fazer o livro chegar aos leitores!

Olá a todos.

E pronto, lá se foi o lançamento! Foi uma honra e um privilégio estar ao lado do Sr. Professor Alexandre Linhares Furtado, ouvi-lo tecer rasgados elogios ao livro e a lamentar o mesmo não ter chegado uns 10 anos mais cedo, porque isso tinha-lhe dado muito jeito! Foi igualmente uma honra e um privilégio ouvir as palavras da Dra. Isabel Gonçalves, do Dr. Emanuel Furtado e todos deleitarem-se com a alegria e boa disposição do "Vitinho", o Vitor Alexandre que se encheu de coragem e quis falar para agradecer a presença de todos.

Só que... fiquei a saber que os livros só vão ficar disponiveis nas FNACS à medida que as apresentações forem feitas e até lá, quem quiser um livro, só o poderá conseguir, ou na Fnac Coimbra ou então através das livrarias "virtuais".

Destaco especialmente a "Apolo 70" (colocar o endereço http://livapolo.pt/ e depois pesquisar pelo nome do livro) onde já estamos em 4º nas vendas e também as http://www.livrarialeitura.pt/ e http://www.bulhosa.pt/

Soube pela Fnac Coimbra que houveram pessoas que telefonaram a perguntar pelo livro, recebi mails de pessoas do Porto, Lisboa, Algarve e Madeira a informar que tinham contactado diversas livrarias e que nenhuma tinha o livro, por isso, lamento sinceramente que o recurso às livrarias virtuais acabe por onerar o custo dos livros, mas talvez seja esta a solução, pois se o mesmo começar a ter saida, talvez dessa forma se consiga despertar o interesse das outras livrarias.

Obrigado a todos!

sábado, 28 de novembro de 2009

Da N/ amiga Zilda,

"Só hoje vi a comovente dedicatória do Alex. Espero que ele me perdoe por não ter ainda dito nada, eu fiquei tão sensibilizada! Espero que fiquemos amigos para sempre.
Gosto muito do seu nome Alexandre, espero que o honre - este nome é como título de nobreza. Verá quando estudar história.
Vou continuar a conversar consigo, sempre que me for possível e o Alex esteja para me ouvir ou ler.
Um abraço especial para o meu grande Amigo."
Zilda Cardoso

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Um simpático convite da TVI


Fomos convidados para estar no "Você na TV" na próxima segunda-feira dia 30. A confirmar-se que poderemos ir, será uma oportunidade de quem não nos conhece de nos ver e ouvir.

Seria bom se o Sr. Professor Linhares Furtado, a Dra. Isabel ou o Dr. Emanuel pudessem igualmente ir, para falarem com mais propriedade destes pequenos milagres que se vão perpetrando em Coimbra!

E o dia ... é já depois de amanhã!

Prefácio - Dr. Emanuel Furtado, responsável pelo programa de transplantação hepático pediátrico

Lutar até Viver é o testemunho impressionante do percurso de luta pela vida, de uma criança, desde tenra idade, gravemente doente. É o relato das venturas e desventuras de quem passa meses no ambiente hospitalar, acompanhando um filho com doença hepática terminal, com notável expressão simultaneamente da realidade factual e do turbilhão de sentimentos e pensamentos que a acompanham. A leitura do texto coloca-nos dentro da história e faz-nos sentir sucessivamente, o embate do diagnóstico e a percepção do gradual, mas rápido, agravamento da doença; a brutalidade e risco da única opção terapêutica e a agonia da espera por um órgão; a complexidade da decisão de doar parte do próprio fígado em vida e a surpresa de afinal não ser necessário fazê-lo; a paragem do tempo no dia do transplante e a estranha alegria que acompanha o regresso do bloco operatório, de uma criança escondida no meio da parafernália de instrumentação; a alegria do primeiro passeio no jardim do hospital e a da alta hospitalar; a angústia que rodeia qualquer intercorrência e a repulsa que causa qualquer perspectiva de novo internamento; as modificações comportamentais que condicionam todos estes acontecimentos na vida familiar e os receios pelo futuro;
É também uma reflexão breve e prática sobre aspectos que importam à sociedade – doação de orgãos após a morte e em vida, política de afectação de recursos à saúde, problemática da negação de seguros a doentes crónicos ainda que com excelente esperança de vida – na perspectiva de um pai com formação jurídica e envolvido na actividade seguradora;
Admiravelmente enriquecido pelos textos, plenos de sentimento, da mãe, e pelas gravuras das irmãs, Inês e Patrícia.

De leitura fácil, convirá, seguramente, a outros pais que, por infortúnio da Natureza, hajam de passar por similar provação, contribuindo para o seu esclarecimento e preparação, mantendo sempre a esperança, dado o seu tom permanentemente positivista.
Aos profissionais de saúde fornece a perspectiva de quem está “do outro lado”, conhecimento imprescindível na procura da melhoria dos cuidados que prestamos aos nossos pacientes.

Não sei se um agradecimento se enquadra formalmente num “prefácio” mas não resisto a agradecer – e estou certo que a mim se juntam muitos dos profissionais que cuidaram do Vitinho, nas várias instituições por que passou – a recompensa que nos ofereceu ao escrever:
“Quando o vemos no meio das brincadeiras com os outros miúdos, o mais fantástico é que o Vitinho é efectivamente uma criança que não se distingue das outras. Corre, joga futebol, grita, é traquina e ninguém consegue perceber pelo que passou.”

Coimbra, 08 de Outubro de 2009
Emanuel Furtado

Praça Pública - Ovar

domingo, 22 de novembro de 2009

Isto de se escrever um livro ...

E depois tentar fazê-lo chegar ao público, é realmente muito mais complicado do que alguma vez imaginei! O êxito ou a falta dele, pode depender muito mais do facto do livro estar disponível (ou não!) nas montras e da publicidade que o envolve, do que propriamente do mérito do autor!
Pelo meu lado e apesar do livro só ser lançado para a semana, não posso deixar de agradecer as muitas reacções que já me chegaram. Algumas deixam-me verdadeiramente comovido, outras orgulhoso e outras ainda, ciente que algo poderá mudar! O livro é um livro feito com o coração e no fundo, só o facto de o ter feito e conseguido editar, só por si, já me deixa satisfeito.
No entanto, já se conseguiu muito mais do que isso e por isso agradeço a todas as estimadas e notáveis pessoas que irão estar ao meu lado nas apresentações, à Chiado Editora por me ter aberto esta porta e à FNAC por nos ter dado esta visibilidade. Também tenho de agradecer à minha amiga Tereza Larish que foi a primeira a sugerir-me a FNAC Coimbra e me colocou em contacto com o João Vaz Silva responsável da Comunicação da Fnac Coimbra e à Ana Paula Ungaro que me colocou em contacto com o Viriato Filipe, Director de Marketing e Comunicação Institucional da Fnac.

Disse-me hoje um amigo que tinha perguntado em duas conhecidas livrarias se conheciam o "Lutar Até Viver" e se era muito complicado adquiri-lo, ao que lhe responderam da mesma maneira, isto é, 'que em um ou dois dias o tinham lá, fosse o livro de que editora fosse' e num dos casos até lhe disseram que o livro já estava disponível na livraria on-line da 'Livraria Leitura'. Numa delas também sabiam que o lançamento seria no dia 28.
A quem se sinta impelido a dar um “empurrão” ao lançamento deste nosso “precioso” livro, peço-lhes que perguntem por ele! Cada pergunta, cada mail dirigido a uma dessas livrarias fará com que sintam necessidade de nos conhecer e assim, de forma indirecta, ajudam o livro a espalhar-se e a consolidar-se.
Tudo o que o envolverá será muito útil para a realidade da transplantação hepática em Portugal que continua assente em alicerces muito frágeis, para a divulgação do papel da Hepaturix e para a dimensão ética da doação de órgãos que salvam vidas.
Obrigado a todos!

Mais um desenho da Inês, mas este nada tem a ver com o livro

Para quem me quiser enviar e-mails!

Passou a estar disponivel no meu perfil o link do e-mail da Hepaturix hepaturix@net.novis.pt.
Como o blog está com 'publicação livre' (para os comentários), para quem os queira fazer mas não para serem publicados, poderá então fazê-lo para este mail.
Obrigado

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Para quem tiver dificuldade em encontrar o livro e não conseguir ir às FNACs

Pode sempre socorrer-se do site da http://www.chiadoeditora.com/ e aceder ao link da livraria on-line Apolo 70.
Ou então, vá directamente para http://livapolo.pt/ e depois bastará apenas pesquisar o livro.
O inconveniente desta alternativa são os portes de envio, as vantagens é que o carteiro leva-nos o livro a casa.
Na cidade de Ovar o livro estará à venda na Minerva/Sr.Carrapatoso e na Topázio (D.Emilia/Furadouro).

Reacções ...

Queria parabeniza-lo pelo óptimo trabalho e pela mensagem de esperança que quis dar.
Cordialmente,
Santi Cianci - GENERALI PORTUGAL
…………………………………………………………
Recebi o s/livro que é muito comovente. Fiquei em lágrimas página sim, página não. Acabei de conhecer uma família excepcional, fico feliz por isso. Vou continuar a ler, mas ainda bem que já sei que teve um final feliz.
Um abraço para toda a família.
Zilda Cardoso
..................
Acabei agora de ler o livro... está excelente!!!
fartei-me de chorar e de rir também... muitos parabéns aos 2 por terem conseguido construir essa familia tão engraçada.... continuem assim... percebe-se perfeitamente o amor que têm um pelo outro e claro, pelos vossos filhos. Parabéns às manas, Inês e Patricia, que apesar de não falarem muito nos eventos... percebe-se,,,, estão a recolher informação para fazerem os seus desenhos... estão perdoadas! E parabéns ao pekenote por finalmente ter enfrentado esse terror que é dormir sozinho numa cama graaaande.. =) Beijinhos
Catarina Aguiar - Transplantada Hepática
.....................
Muitos parabéns pela iniciativa.
Espero, não, tenho a certeza que vai ser um sucesso, e também tenho esperança que sirva para “acordar” quem há muito dormita…
Um forte abraço
Conceição Andrade – SIC
……………………………………………
Ainda sinto aquela pressão no peito, o estrangular na garganta e lágrimas teimosas nos olhos. (…)
A coragem de exporem as vossa feridas, o vosso íntimo, é notável. Vai, concerteza, ser útil a todos os que esperam transplante, agora e no futuro. Vai também, despertar consciências. Transmitirá também, aos profissionais de saúde que ainda não têm essa sensibilidade, o que vai na alma dos pais das crianças doentes (…) É um livro de linguagem clara e precisa, que transmite muita emoção e sofrimento. (…) E a descrição é de tal maneira real e sensível, que parece que a “história” é a de cada um de nós.
A ilustração da Inês é verdadeiramente fantástica! (...)
Obrigada por partilharem, e pela coragem de tornar pública, a vossa vivência.
Tereza Larisch - Coimbra (Mãe de uma jovem Transplantada Hepática)
…………………………………
(…) parabéns pela coragem e iniciativa. Estou certo que muitos pais vão agradecer o seu contributo. (…) Está muito bem feito, é quase 3D! Transparecem os vossos sentimentos, os nossos, a dicotomia da doença crónica. Parabéns !”
Isabel Gonçalves (Hospital Pediátrico Coimbra – a quem o livro é dedicado)
………………………………
Sinto-me orgulhosa por ter acompanhado de perto todo este processo que revivo com angústia, a cada página, deste excelente testemunho.
(…) Se eu fosse a mãe do dador adorava saber que a perda de um filho meu não foi em vão…. se eu fosse essa mãe teria uma grande paz de alma se tivesse acesso a este livro…
Um dia quem sabe……
Ana Paula Ungaro - Porto
…………………
(…) O livro é um 'bofetada em câmara lenta' que nos estremece a alma e desperta-nos para o essencial...a vida (…)
Alvaro Filipe – Lisboa
……………………………………………
(…) Está maravilhoso este vosso testemunho de fé e luta . Acabei de o ler hoje na viagem a Madrid .
Um grande abraço,
Joaquim Moreira - Porto
……………………………………
Como tu dirias, estou absolutamente estupefacto!
Tenho que confessar-te que me emocionei de forma imediata! Que excelente trabalho! O tom da escrita, os fantásticos desenhos da Inês, os poemas da Ligia… uma harmonia absolutamente fascinante!
Muitos parabéns, Vitor!!”
Rui Reis – Cidade do México
…………………………………………
Muitos parabéns a si e a toda a família pela união e pela coragem com que enfrentaram, este problema tão delicado. Foram um exemplo, para todos nós e é muito importante perceber, que a vida é muito mais, do que aqueles problemas que nós às vezes valorizamos tanto, e que são tão insignificantes, perante o que vocês viveram com tanta dignidade.
Parabéns
Helena Barbosa - Porto
……………………………
(…) A escrita é um dom que você tem. Consigo ouvi-lo, vê-lo, imaginar-vos a todos.
Fantástico.
Paulo Barbosa – Ovar
…………………………………………………………..
(…) Parabéns pelo excelente livro que vocês escreveram. Para além de algumas partes do livro que obviamente me sensibilizaram, fiquei maravilhado com os desenhos da Inês.
Carlos Emanuel – Paris
…………………………………….
Caro Vítor
Parabéns pela vossa iniciativa e pela vossa luta.
Rui Tato Marinho - Lisboa
……………………………………………………
Os meus mais sinceros parabéns. (…)Estou certo de o vosso livro será um contributo com um impacto muito mais relevante que muitas teses de doutoramento que por aí proliferam. (…) Bem hajam pelo esforço e dedicação a causa tão nobre e bonita.
Joaquim Barros - Universidade do Minho
.............
O exercício da partilha do Vosso caso parte de um sentimento nobre e da forma diferente como o nascimento do Vosso Filho Vos obrigou a encarar a vida.
O contributo que o livro poderá representar para outros Pais, Mães, Médicos e sociedade em geral poderá assemelhar-se, em alguns casos, à leitura da Bíblia.
(…) Graças à Vossa dedicação, no futuro, outros terão esse “conforto”.
(…) gostei do discurso directo, da emoção, da primeira pessoa, do AMOR e; claro, dos desenhos da Inês!
Jaime Valente – Ovar
…………………………………………………………………………..
Antes de mais queremos felicitá-lo pela excelente obra “Lutar até viver” e desde já desejar um óptimo lançamento para este livro. Não posso também deixar de agradecer a simpática referencia á Crioestaminal.
(…)
Luís Gomes

Um pedido de desculpas!

Na pequena foto da Lígia na Badana da Capa, ela aparece com uma pequena cigarrilha. Quando cedi a foto à Chiado tinha solicitado para cortarem a cigarrilha, mas depois ao ver 'a prova', a foto era tão pequena que acabei por não valorizar esse "pormenor", porque parecia passar despercebido. Agora ao olhar para o livro, percebe-se que foi uma grande asneira, porque a cigarrilha vê-se claramente! Quando aconteceu aquele conhecido episódio com o nosso 1º ministro no avião da TAP, ele pediu desculpa e prometeu que iria deixar de fumar... ora bem, a Lígia não necessita de prometer nada porque, na verdade, não é fumadora! Aquela foto foi apenas, um momento, em férias e completamente fora de contexto.
Que nos perdoem aqueles que se sintam perturbados pela foto, dado o tema do livro e vamos pedir à Chiado que em futuras edições cortem a "malvada" cigarrilha.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Que a Silvia Pirk me perdoe a inconfidência de colocar este seu mail no blog...

Olá Vitor e família!
Já terminei a leitura do livro e o que tenho a dizer é que estão de Parabéns. O autor e a família toda que também colaborou. Também já recebemos em casa os livros encomendados on-line para divulgar entre família e amigos. É uma boa forma de lerem também a história da nossa vida. Tivemos também muito medo, receio, ansiedade, e também Fé, força e coragem para Lutar.
O Lucas tem uma história muito idêntica à do Vitinho, também foi transplantado com quase oito meses e quase 6,5 kg. O problema dele era a atrésia das vias biliares, também ponderamos a ida para o estrangeiro à procura do melhor para solucionar o problema. No entanto, médicos amigos disseram-nos que Portugal estava a nível do melhor da Europa a nível de transplantação hepática. Confiamos e ficamos mais tranquilos. Chegados a Coimbra percebemos que estavamos com uma excelente equipa de trabalho e assim foi, correu tudo bem, a dadora fui eu, a mãe, e já fez 1 ano de transplante no passado dia 3 de Setembro. De lá para cá nunca mais foi internado, apenas faz as consultas de rotina. Já só toma Fk e magnésio. Um verdadeiro milagre e a excelência da medicina. Como ainda não passou muito tempo do transplante ainda continuamos a protegê-lo de forma a evitar o contágio de certas doenças. Enfim, vocês sabem.
Continuação de tudo de bom, com muita saúde para o Vitinho e família. São uns lutadores e estamos orgulhosos de vós.
Eu também sou do Norte, sou natural de Ponte de Lima embora já viva no Algarve há 14 anos.
Beijos e abraços
Lucas e pais

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Missão Sorriso - Leopoldina vs Alex


Eis aqui a simpática Leopoldina numa nova aventura com o Alex no "Portugal dos Pequeninos". Era um dia chuvoso, muito chuvoso... será que alguém roubou o sol? Procuraram, procuraram e nada! No fim das filmagens estávamos um bocadito molhados! A malta da TVI ainda estava pior, porque estavam molhados e esgalgados de fome! Começaram de manhã e acabaram às 16:30, eu e o Alex percebemos que as coisas estavam para durar e às 13:00 fomos comer uma bela picanha e dar uma volta pela Fnac do Forum Coimbra. Já lá estão os prospectos a anunciar o lançamento no dia 28. Fica aqui a recordação da Leopoldina que imaginem, era Russa!
http://www.youtube.com/watch?v=7FTXSj1ul_A

domingo, 15 de novembro de 2009

Patricia e Alex.

sábado, 14 de novembro de 2009

Seguros

Os que me conhecem sabem que sou profissional de seguros, tenho muito prazer em sê-lo e já o sou desde 1990. A minha ligação ao Grupo Generali e que muito me honra, vem desde 1992 e por isso, parece-me, estou numa posição privilegiada para avaliar a problemática dos seguros e dos transplantados em geral. (...) Apenas direi o seguinte, se o livro for bem aceite e gerar receitas, desse lucro e como já referi, 20% será doado à Hepaturix, a parte restante será para os meus filhos, especialmente para o Vitinho e isto com o objectivo de lhe constituir um “pé-de-meia”. O Vitinho é uma criança saudável, feliz e esperamos todos, com um futuro risonho à sua frente, mas quando um dia quiser ser autónomo, terá graves problemas em fazer um empréstimo hipotecário que lhe permita adquirir uma casa e assim construir a sua família, porque simplesmente, dificilmente conseguirá fazer um seguro de vida. Quem diz a casa, diz o carro e tudo o resto, pois, um simples seguro de mera previdência será difícil de subscrever. Eu sou Pai de uma criança transplantada e sou profissional de seguros! Percebo bem as limitações que se levantam, no entanto parece-me que é possível encontrar uma solução, uma boa solução! (...) Era útil que o ISP -Instituto de Seguros de Portugal, a APS – Associação Portuguesa de Seguradores e a ASST tomassem as rédeas deste assunto.
Sei que a Generali está consciente deste problema e conhecendo a Companhia como conheço, acredito que poderão ter um papel importante a desempenhar.
Contamos convosco!

Hepaturix

20% das receitas com a venda deste livro serão doadas à
Hepaturix
Associação Nacional das Crianças e Jovens Transplantados ou com Doenças Hepáticas
Instituição Particular de Solidariedade Social
http://hepaturix.home.sapo.pt/
hepaturix@net.novis.pt

A "verdadeira" Inês

Inês


Tem 16 anos e até à semana passada era aluna do 11º ano do curso de artes da Escola José Macedo Fragateiro em Ovar. Como pediu transferência para a Escola Artistica Soares dos Reis e conseguiu entrar, agora, teve de regressar ao 10º ano. Algumas das ilustrações foram feitas quando a Inês tinha 13 anos.
(...) relembro o poder político que apesar de ser sempre possível optimizar cada vez mais a recolha de órgãos em dadores-cadáver, ainda assim, o número de transplantes é e será sempre muito reduzido, comparativamente às necessidades reais do país. Por essa razão temos de encontrar outras alternativas eticamente aceitáveis, juridicamente correctas e humanamente desejáveis. Só com o recurso a leis equilibradas, modernas e pragmáticas será possível revolucionar toda a politica de transplantação em Portugal. Quando estávamos no meio do nosso drama, uma das coisas que mais nos sensibilizou foi a quantidade de pessoas que se ofereceram para serem dadoras. Algumas, não as conhecíamos… eram amigos anónimos dos amigos, que iam conhecendo a história e sentiam-se impelidos a dar esse passo! Nós os pais tínhamos a obrigação de ser dadores, mas estes não, estes ofereciam-se pelo mais puro sentimento de generosidade humana. A todos eles o nosso muito obrigado! Mas é disto que a nossa sociedade precisa, de atitudes nobres, generosas, corajosas, demonstrativas do mais puro amor e sã fraternidade entre os seres humanos. Houve realmente uma “onda de amor” que nos tocou a alma! Rezaram-se missas, pediram muito por nós, acarinharam-nos sem nada nos dizerem, pessoas que nos eram próximas e pessoas que não nos conheciam. Na verdade, desde a ciência à fé, todos estiveram atentos, todos estiveram em campo, unidos por um único elo, o nosso filho!
O mistério da Fé é tudo isto e também a Lígia se sentiu tocada por ele e por essa razão quis ir a Fátima a pé. Quis passar por essa provação e honrar as preces dos momentos difíceis! Em 2007, com um grupo de amigos entre os quais a Isabel que também fez questão de ir e pela mesma razão, saíram de Ovar rumo ao santuário. A Lígia encontrou nessa provação algo que a levou até Deus e já no Santuário, quando mostrou o nosso filho à cruz da basílica que contempla todo o espaço envolvente, não conseguiu articular nenhuma palavra. Os olhos rasos de lágrimas diziam tudo! Ela sentia-se efectivamente feliz, agradecida e confiante. O nosso futuro será um pouco isto, acreditar na nossa força e ter fé, muita fé! Somos a estrela que guia os nossos filhos, que protege e que está presente. A nossa vida tem este significado, temos o nosso papel e temos de o cumprir o melhor que sabemos.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Um agradecimento especial ...

À empresa "Ideias Concertadas - Coimbra" (http://www.ideiasconcertadas.pt/).
Ontem surpreenderam-me com a oferta da sua assessoria de comunicação! Aquilo que eu estava a fazer de forma amadora e desconchavada, agora passou a ser feito ‘por quem sabe’!
Um xi-coração de todos nós para a Catarina Prelhaz.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

“A força não provém da capacidade física
mas sim de uma vontade indomável”
Mahatma Gandhi

À Dra. Isabel Gonçalves


A si, por ser a segunda Mãe…

Nós temos o nosso filho, o nosso caso, as nossas preocupações, os nossos medos, as nossas vitórias e as nossas lágrimas!

A Dra. Isabel tem o nosso … e todos os outros!

Nos seus olhos vêem-se todos os casos que correram bem, mas percebe-se a dor pelos que não se salvaram.

Obrigado pela coragem.

Obrigado por se ter dedicado à Hepatologia.

Obrigado por sempre ter lutado pelo programa de transplantação hepática.

Obrigado por ter acreditado.

Obrigado

domingo, 8 de novembro de 2009

Um desenho do Alex


Voici, voilá Vitor Alexandrins
illuminé d’Ovar, famille Costa Martins
comptez jusqu’á 12, voilá! Voilá le prénom!
Terminez par Inês, Patrícia ‘en famions’
Ovar est habillé en millions de Martins!
Revoici, revoilá, Vitor Alexandrins
Daniel Schneider, Paris 09/12/2003

Um desenho da Patrícia


"Era esse o sonho que estávamos a viver, o nosso filho estava calmamente a descer das estrelas e a regressar para o nosso seio abençoado por uma fada celestial, muito bonita e sorridente e que nos entregava a sua mão, com o respeito no olhar, num olhar que nos dizia que o tínhamos merecido!"
O tempo passa depressa
Sento-me para fazê-lo parar
Mas o dito não para de passar
E há quem peça
Para o tempo passar mais depressa
Fico imóvel e nem nessa
O tempo passa, passa depressa
O teu cabelo é imune
Mantém-se ondeante
O tempo é impune
Mas o tempo passa, passa depressa
Na brancura do meu cabelo
Na sulca da ruga no canto do olho
E o tempo passa, passa, passa
Deixa uma linha nem sempre visível
Às vezes discreta
Outras sulcadas
Outras…sem linha

Lígia

Ibiza (Cala Vadella)

Coração da Mãe (pela Inês)

Porquê?

Em 2004 ‘o mundo’ da transplantação hepática era-nos completamente desconhecido.
Entrámos neste meio por causa do transplante hepático do nosso filho e ficámos a conhecer uma vertente da medicina muito nobre e desconhecida da sociedade em geral.
Entretanto, ao longo dos meses fomo-nos apercebendo das virtudes, das insuficiências e de algumas particularidades.
Recentemente, o programa de Transplantação Hepático Pediátrico (TRH) passou por algumas dificuldades que poderiam ter custado a sua continuidade em Coimbra e em Portugal, pois apenas em Coimbra se fazem transplantes hepáticos pediátricos. Hoje, graças à HEPATURIX muita coisa tornou-se pública através dos jornais, das rádios e das televisões. Tudo isto mostrou ao país uma realidade desconhecida de todos, mesmo de alguma classe médica!
A HEPATURIX é uma associação de jovens transplantados e com doenças hepáticas crónicas e nós, os pais que a fundámos, tivemos um papel determinante na defesa da “Escola de Coimbra” criada há 15 anos pelo Sr. Prof. Alexandre Linhares Furtado e hoje liderada pelo seu filho!
Felizmente que o Dr. Emanuel Furtado manteve-se connosco e à frente do programa TRH. Hoje, passados mais de dois anos e meio sobre essa “crise”, continuamos com algumas preocupações, mas pelo menos o programa funciona!
Assim têm-se salvo algumas vidas “pequeninas”, porque nem todos os casos teriam resposta no estrangeiro, como aliás se verificou nessa altura com o envio de uma criança para Madrid e que acabou por ser transplantada em Portugal.
Como entretanto a transplantação hepática deixou de ser notícia pelas “piores” razões, apercebi-me que o assunto tem tido tendência a esbater-se. Ao poder político e a quem decide, espero que o livro sirva pelo menos para relembrar que é necessário investir na formação de mais cirurgiões!
Espero também que este seja um testemunho útil para todos aqueles que tenham a infelicidade de passar por um processo idêntico! Aos outros, ficará apenas a história…
A nós tinha-nos feito muito bem se tivéssemos acedido a um testemunho deste género na altura certa! Por imperativo moral supri agora essa falta, era o mínimo que poderia fazer, só espero tê-lo conseguido com a qualidade mínima desejável!
O diminutivo Vitinho foi o nome que os médicos e enfermeiros “baptizaram” o nosso filho e por isso é esse o nome utilizado neste livro, embora para ele o nome soe um pouco a estranho….

Um desenho da Inês

Chiado Editora

Http://www.chiadoeditora.com

Av. Rui Nogueira Simoes, n. 2A, Lisboa
Tel.: 217 266 394
Fax.: 217 266 396
Geral: info@chiadoeditora.com

Edição: gm1273@chiadoeditora.com

Distribuição: vanda.lopes@chiadoeditora.com

Convite


Informação Agenda:
FNAC COIMBRA - lançamento p. Alexandre Linhares Furtado, Emanuel Furtado e Isabel Gonçalves = 28/11 às 17:00;
FNAC VISEU - apresentação p. Hepaturix = 01/12 às 17:00;
FNAC VASCO GAMA - apresentação p. Santi Cianci e José Araújo Alves (Generali Companhia de Seguros S.p.A.) = 04/12 às 18:00;
FNAC ALFRAGIDE - apresentação p. Conceição Andrade e Pedro Coelho (SIC)= 06/12 às 17:00;
FNAC BRAGA – apresentação p. Marta Lopes Cardoso = 08/12 às 17:00;
FNAC CASCAIS - apresentação p. Astellas = 11/12 às 21:30;
FNAC ALMADA - apresentação p. Laurinda Alves = 15/12 às 21:30;
FNAC GAIASHOPPING – apresentação p. Margarida Medina e Ermelinda Silva = 16/01 às 17:00.